Como garantir que suas esteiras percorram a distância

Como obter compatibilidade material e química durante a limpeza para prolongar a vida útil da esteira

Teste químico na esteira com as mãos com luva

Em um artigo anterior, abordamos os principais fatores na escolha do material de esteira certo para transportadores de alimentos. Especificamente, nossos especialistas consideraram a quais condições as esteiras estariam sujeitas durante a produção. 

Mas e durante a limpeza e higienização? 

Escolher um material de esteira com base no seu produto, aplicação e ambiente é apenas a primeira parte da equação. Quando as esteiras estiverem instaladas e funcionando, você poderá danificar facilmente o material correto da esteira com os agentes de limpeza errados. 

Se isso não parece tão ruim, considere o seguinte: o uso de produtos químicos ou concentrações químicas incompatíveis com o material da esteira transportadora pode representar os piores riscos para a linha de processamento. Isso inclui contaminação por materiais estranhos, produto de refugo, tempo de parada não programada, aumento de custos devido a substituições mais frequentes da esteira e até mesmo um recall. 

O que você pode fazer? 

Para descobrir, consultamos especialistas em Gestão de Produtos, um grupo altamente especializado na Laitram* que oferece informações gratuitas, orientação e serviços que nossos clientes podem não conhecer.

Infográfico de gestão de produtos

O departamento de Gestão de Produtos da Laitram inclui um grupo único de especialistas com uma ampla gama de responsabilidades, incluindo testes químicos e compatibilidade.

Comunique-se com a equipe de higienização

Sabemos, com base em experiências em campo e conversas com nossos clientes, que a limpeza e a higienização são empresas terceirizadas especializadas em grandes instalações de processamento de alimentos. Se a sua fábrica trouxer uma equipe de limpeza externa, comunique-se regularmente com ela. 

"Em muitos casos, há uma desconexão entre o que a gerência da fábrica acha que está fazendo e o que os higienizadores estão realmente fazendo", diz Evan McSpadden, Especialista químico em Gestão de Produtos na Laitram. "Por exemplo, vimos casos em que os membros da equipe de higienização mudaram a concentração química que usam sem que o processador soubesse." 

Há uma solução fácil: converse regularmente com sua empresa de higienização terceirizada. Pergunte a eles quais produtos químicos de limpeza e concentrações estão usando e certifique-se de que sejam compatíveis com suas esteiras essenciais de contato direto com alimentos.

Dica de equipe da Intralox: se você tomar o cuidado necessário para garantir a compatibilidade entre os agentes de limpeza e os materiais da esteira, a resistência química poderá exceder muito a vida útil da esteira.

Entenda por que nem sempre mais é melhor 

Os higienizadores geralmente usam produtos químicos incorretos ou em excesso para limpar as esteiras rapidamente. Eles podem até mesmo acreditar que, de alguma forma, fazer "mais" limpa as esteiras melhor e mais rapidamente. Mas isso pode ter efeitos prejudiciais nas esteiras, especialmente aquelas feitas de materiais menos resistentes a produtos químicos. Aqui estão alguns exemplos em que mais não é necessariamente melhor para a integridade de suas esteiras: 

  • Concentração: é melhor usar produtos químicos em suas concentrações mais baixas que sejam mais eficazes para a aplicação. 
  • Temperatura: a cada 10°C, a temperatura química é aumentada para limpeza, essencialmente duplicando seu efeito, levando a uma concentração mais alta. 
  • Empilhamento de ácidos: o uso de vários produtos químicos contendo ácido durante uma aplicação nem sempre é eficaz e pode causar danos estruturais e ao equipamento. 
  • Alternância: fazer rodízio regular de produtos químicos de higienização pode não ser necessário ou benéfico. 

Certifique-se de que suas instalações tenham bons Procedimentos Padrão de Higienização Operacional (PPHO) e que sua equipe os siga de forma consistente. Essa é uma etapa importante que você pode executar para prolongar a vida útil das esteiras e, por fim, manter o produto seguro.

Os fornecedores de produtos químicos não são especialistas em compatibilidade com esteiras transportadoras. Eles se concentram no modo como seus produtos químicos afetam os microrganismos. Nós nos concentramos em como os produtos químicos de limpeza interagem com os materiais comuns das esteiras para ajudar os processadores a prolongar a vida útil delas.

Evan McSpadden
Evan McSpadden
Especialista químico em Gestão de Produtos na Laitram

Saiba o que procurar 

Aqui estão alguns indicadores comuns e visíveis de que um material da esteira é incompatível com um produto químico de limpeza: 

  • Descoloração (branqueamento) da superfície da esteira 
  • Rachaduras 
  • Vãos 
  • Delaminação 
  • Bolhas 
  • Descoloração 
  • Protuberância 
  • Fragilização 

Há anos, uma grande empresa de processamento de carne começou a perceber rachaduras em suas esteiras. Depois de nos enviar um pedaço de sua esteira para testar, descobrimos que o ácido fosfórico, um produto químico de limpeza comum, estava por toda a amostra. 

"As esteiras de acetal do cliente eram incompatíveis com o produto químico que a equipe de limpeza e higienização usava", diz Gloria Bowman, Gerente de Gestão de Produtos da Laitram. "Esse caso levou minha equipe a desenvolver um guia de compatibilidade química de uma página para processadores de carne, aves, pescados e frutos do mar."

Diretrizes de compatibilidade química para a miniatura do MPS

Diretrizes de compatibilidade química para carnes, aves, pescados e frutos do mar (MPS)

Este é um gráfico prático que você pode baixar, compartilhar e usar em sua fábrica de MPS para ter uma ideia geral da compatibilidade dos materiais de esteiras usados com frequência com produtos químicos ou higienizadores comuns para limpeza.

Baixe o PDF

A limpeza não é inimiga da produção. 

Os processadores estão sempre buscando aumentar o tempo de produção e diminuir o tempo necessário para a limpeza entre os processamentos. Faz sentido: um gera lucro, o outro gera despesa. 

Mas correr para reduzir o tempo de limpeza com o uso excessivo ou mau uso de produtos químicos para combater patógenos transmitidos por alimentos pode ter um preço alto. 

"Se as equipes tiverem um pouco mais de tempo para limpar adequadamente", diz McSpalden, "elas podem reduzir o uso de produtos químicos, reduzir o tempo de parada não programada necessário para inspeções de qualidade e retrabalho, minimizar danos à esteira, diminuir o risco de contaminação por materiais estranhos e prolongar a vida útil da esteira". 

*A Intralox é uma subsidiária da Laitram.

No caso de dúvidas sobre compatibilidade química ou para nos enviar uma amostra de esteira para teste, entre em contato com o Suporte Técnico da Intralox.


Notícias e idéias